Wednesday, January 05, 2005

Ata: Ordinária de DEZEMBRO/2004

Dia: 03/12/04
Horário: 20:00
Local: Quintal (R. Grão Mogol, esquina com Av. Uruguai – Sion)

Comparecimentos (9): Virgínia Cajuju, Veruska Leal (convidada da Vivi), Fernando Lara, Marina Assis, Daniel Melo, Cristina Mota, Ricardo Deoroz, Adriane Barroso, Marina Torres

Relatoras: Vivi e Marina, com algumas intervenções do Ferdi. A parte que cada um escreveu será identificada no início.

[VIVI] A reunião começou às 20:00 em ponto com a chegada da Vivi e da Vevê (escrevi assim pra ficar mais barango, igual nome de pagodeiro). Ficamos com medo do buteco. Logo na entrada tivemos que mostrar a identidade para dois caras grandes de terno preto. Depois, nossas bolsas foram revistadas (será que o bar é violento???). Em segui da a garçonete, que não sabia que existem outros bares chamados Quintal, nos disse que se quisermos comer temos que pagar antes (!) – esquema de ficha.

Agora estou escrevendo quase no escuro. A mesa é iluminada por uma vela que não quer ficar acesa (será um tipo de seita?). Só chegam homens no bar (isso é bom ou significa alguma outra coisa?). O bar tem cheiro de querosene.

[FERDI] Ferdi também teve medo do lugar. Pensou: “Acho que tô meio velho pra isso”.

[MARINA] Cheguei às 20:15. Ferdi mostrou para a mesa as “intervenções sobre Freud”, obras de arte que ele fez no Palm. Ficamos vendo fotos de eventos anteriores na minha máquina. Está tocando Legião Urbana. Com isso fomos transportados direto pra nossa 7ª série. Que preguiça dessas músicas. Vivi organizou o dinheiro da mesa. Como era esquema de ficha, a gente tinha que dar a grana para pagar as fichas, fizemos estoque de ficha de cerveja. Reparamos que a Vivi está de unhas escuras, mal intencionada. Eu li a ata para saber o que tinha acontecido até então. O Ferdi deitou na rede que tem no bar e eu tirei foto dele. O bar é meio reggaenight, quase faficheiro, apesar de as pessoas serem bonitas.

O cardápio é escrito em Comic Sans! Esse bar não merece uma moeda furada! Essa fonte ainda vai dominar o mundo... mas eu não me rendo.

Até agora a cerveja 600ml é R$2,00. Depois das 21:00 vai ser R$3,00. As meninas pediram batata frita (R$7,00). Uma banda começou a toca reggae. Ferdi acordou e saiu da rede. Tá calor aqui. A música fala “eu vou cantar mais alto, cada vez mais alto” e o cara cantou mesmo! Já estava muito alto até então. Depois da música o Ferdi puxou um coro de palmas (coisa de quem trabalha em casa de espetáculo civilizada). Nós o acompanhamos. O vocalista agradeceu bastante surpreso.

A batata está ótima! Pra vocês entenderem o grau de reggaenight que é o lugar, tem um varal com roupas penduradas na entrada. O Melo chegou às 21:00. O moço revistador revistou o Melo e eu tirei foto. Vou denunciar esse cara. Quem ele pensa que é, revistando a presidência da COPEVE? Vamos dar sumiço no elemento. Com a surpresa geral que o bar causou, a COPEVE se comprometeu a vistoriar todo novo local que for indicado para as suas reuniões, visando garantir a satisfação total de nossos associados (o marketagem!). A Cristina chegou às 21:10.

[FERDI] Apesar de abençoada, a Com2001 envelhece.

[MARINA] O Ferdi disse isso porque ele e o Melo estão se sentindo velhos pra aguentar locais como esses. Além disso, o Melo foi de ônibus pra reunião porque deixou o carro na oficina. Ele se sentiu com muitos anos a menos. Pedimos várias fichas de cerveja e tiramos fotos da mesa. O moço que revista passou a mão no Deoroz, que chegou às 21:15. O Deoroz chegou e foi inspecionar o bar. Ele deve demorar meia hora e encontrar duas dúzias de conhecidos, como de costume.

A ata tá cheia de sal da batata. Ah! Bat-ATA!

O Deoroz voltou e falou dos filmes que vão entrar em cartaz. O Ferdi, o Melo e eu queremos assistir “Os Incríveis”. Combinamos de ir na sexta que vem. Pixar é tudo!!! Falamos sobre outros desenhos e sobre as comunidades que existem no Orkut sobre eles. Ih, sem vela, sem ata. A vela tá apagando. Aproveitei que niguém reclamou do catchup e taquei ele na batata toda. Tirei foto disso. A Vivi comentou que o Melo está desperdiçado. Eu concordei total.

O Ferdi cantou “Rala o Pinto”! Que regressão! Marina Torres chegou às 21:50. A vela tá apagando de novo, tô escrevendo no escuro. Estou adorando as fotos de hoje, estão ficando super legais. Agora que já chegaram 249.355 mulheres bonitas, os homens pararam de reclamar que o bar é estranho. O som tá tão alto que a Vivi falou que não poderemos falar mal de ninguém, só gritar mal. Falamos mal da Sofia, que disse que vinha e não apareceu.

O Ferdi quer bala mas ninguém tem. Ele falou que a Clara não virá e que o Bruno (ex-Portela, atual Fernandes) queria vir mas não veio.

[VIVI] Cantaram “Parabéns pra você” e a Veruska achou barango. Ela não quer aproveitar que a Marina saiu pra escrever coisas duvidosas na ata. A conversa está fuindo muito bem, todo mundo está em sintonia dizendo “o quê?”, “quê, quê?”. A Cris falou que todos vão estar roucos amanhã. Todo mundo concordou dizendo “É! Será, será?”. A Mina (Marina Torres) falou que o Deoroz é cativável. O Deoroz contou uma piada de japonês x 99 reais.

[MARINA] A Cristina foi embora às 22:35 porque tinha outra festa pra ir.

[VIVI] Miraculosamente apareceu outro papel para ata dentro da bolsa da Mina. Mina, Veruska e Virgínia tentaram girar a mão direita em sentido horário e fazer um “6”com o pé direito ao mesmo tempo (isso é ridículo!). Elas não conseguiram. Nesse momento há o grupo dos “em pé” e dos “sentados” (no bom sentido). O vizinho da mesa ao lado acredita que se a vela apagar ele morre. A música acabou e a cerveja da mesa também (temporariamente). A moça da cerveja sumiu. Temos 5 fichas. A Mina vai em busca da cerveja. O som voltou mas agora é mecânico.

[MARINA] O Deoroz cantou músicas que ele ouve no rádio o dia todo. Falou sobre a Rádio Favela e seus hits da madrugada: o “Melô do peixe-boi” (esse não lembro qual é) e “Xinguei a minha vó” (do Double You). Morremos de rir! Apareceram mais quatro fichas de cerveja. Se eu estivesse bêbada ia queimar o cabelo na vela porque estou escrevendo em pé, curvada sobre a mesa e a vela está a 1mm da minha cara e tá com o maior fogão.

A Veruska tem lanterna na bolsa e também canivete (como o revistador deixou ela passar?)! A vela apagou e a Veruska iluminou a ata pra eu escrever.

[DRI] Fernando tentou roubar uma bolsa (por engano) e depois a vela da mesa ao lado (por querer). Ele era pônei, agora rouba. Isso me preocupa. Roubamos a vela dos vizinhos, mas eles não repararam. Pessoas jovens não ligam de ficar no escuro.

[MARINA] A Mina foi embora às 23:55. Falamos mal da Carol C4 e também do Gabriel Penna. Ferdi é piromaníaco. Falei mal da Camila porque ela não veio. Falamos do mestrado da Dri, que ainda não saiu. A Dri prometeu que vamos sair pra beber se ela passar no mestrado da PUC. Beber pra cair. Vivi e Veruska conversaram sobre mulheres que negociam. O Melo contou que ficou desesperado quando teve que desligar a internet em casa por causa de uma reforma. Tiramos fotos ótimas com o fogão da vela. Muito doido.

Ferdi negociou nossas fichas de cerveja com outras pessoas. Falamos sobre Revéillon. Queremos fazer algo em BH. A Veruska foi embora à 00:45. Falamos de chapação e dos traumas que elas trazem.

Fila de banheiro é foda.

Fomos embora à 01:00 e sobraram R$6,65 pra caixinha da COPEVE, dinheiro que ficou comigo e vai ficar pra próxima reunião, sem rendimentos.

E foi só.

Marina Assis

0 Comments:

Post a Comment

<< Home